Cuidados Importantes com o Recém-Nascido

De olho nos olhinhos do bebê

Cuidados Importantes com o Recém-Nascido

Cuidados Importantes com o Recém-Nascido!As lesões formadas se caracterizam por cravos pretos ou brancos, espinhas avermelhadas e, em casos menos comuns, espinhas com pus. Com raras exceções, os pais não devem se preocupar, já que as acnes costumam desaparecer espontaneamente. Cuidados Importantes com o Recém-Nascido veja uso de óleos e pomadas para bebês também não são recomendados; não são eficientes e podem até agravar o caso.

Outro problema que pode atingir as crianças é a acne infantil, que surge a partir do terceiro mês de vida. As lesões aparecem em maior quantidade e são mais persistentes que a acne neonatal. Elas também costumam desaparecer de modo gradativo em cerca de três anos. O surgimento dessa acne é similar ao dos jovens, já que ocorre devido ao entupimento do folículo (canal do pelo) e, consequentemente a liberação do sebo produzido pelas glândulas sebáceas para a superfície da pele.

“Caso apareçam verdadeiras bolhas ou espinhas com pus em qualquer parte do corpo, deve haver um exame cuidadoso, já que elas podem ter sido causadas por herpes viral. Neste caso, é necessário tratamento”, afirma Grinblat. A recomendação é buscar um dermatologista caso os cravos não desapareçam sozinhos depois que o bebê passar dos seis meses. Medicamentos leves, com formulação própria para a pele da criança podem resolver o problema.

Cuidados Importantes com o Recém-Nascido tem que ter atenção e dedicação constante que acompanham os bebês durante os primeiros dias e meses de vida, é possível que alguns problemas no olho deles passem despercebidos. A dica é ficar de olhos bem abertos desde o primeiro momento em que o vê, na maternidade, e evitar que o bebê venha a ter problemas de visão.

Na sala de parto, a criança recebe a primeira ação de saúde ocular. Muitas mães desconhecem o procedimento. “Logo após o nascimento, uma gota de nitrato de prata é pingada em cada olho para prevenir doenças oculares graves que podem causar cegueira. Existem 40 milhões de cegos no mundo e pelo menos metade poderia estar enxergando se tivesse recebido socorro imediato”, diz Renato Neves, médico oftalmologista.

“O choro do bebê é um indicador importante. As mães sabem instintivamente que é um sinal de fome ou dor de barriga, mas também pode denunciar incômodos provocados pela conjuntivite. É comum a doença aparecer nos primeiros dias de vida. Por isso, é importante observar se os olhinhos manifestam vermelhidão”, diz Neves. O tamanho dos olhos e sua movimentação também devem ser acompanhados. O olhar que parece fugir naturalmente da luz pode indicar sérios problemas.

Olhos do bebê - foto: Iefymov/ShutterStock.com

A obstrução do canal lacrimal é comum e os pais chegam a se confundir, achando graça no fato de a criança chorar sem lágrima. “O canal lacrimal leva a lágrima para o nariz. Ele pode estar entupido e o tratamento é feito com massagens e uso de colírios antibióticos. Mas o sintoma pode alertar para o tratamento de doenças mais graves”, diz o médico.

Manchas, sinais brancos na menina dos olhos (pupila), ou ainda se a criança estiver demonstrando incômodo na presença de luz, são alertas mais claros de que os pais não devem esperar para levar a criança ao oftalmologista.Vale lembrar que esses cuidados começam até mesmo antes de o bebê nascer, nos exames de pré-natal. Doenças como rubéola, sífilis ou toxoplasmose podem comprometer a visão.

Cuidados Importantes com o Recém-Nascido :Acne neonatal

Não se assuste com as espinhas do bebê; isso é normal e na maioria dos casos não requer tratamento.

Acne não é exclusividade dos adolescentes e adultos; pode atingir também os bebês. Esse distúrbio aparece com mais frequência durante a adolescência devido à atividade excessiva das glândulas sebáceas e à obstrução da abertura do folículo pilosebáceo – que dá origem aos cravos –, mas o problema também atinge mais de 30% dos recém-nascidos. A chamada acne neonatal é comum entre a terceira e a quarta semanas de vida da criança e pode durar até seis meses.

Esse tipo de acne surge em bebês com predisposição genética, após a liberação dos hormônios maternos durante a gestação, amamentação e período pós-parto. “A reação à transferência de hormônios da mãe para o bebê é natural. Eles costumam permanecer no organismo da criança por aproximadamente seis meses e provocam o surgimento de espinhas e pequenos cravos, porém não é aconselhável espremê-los, já que não são graves nem deixam cicatrizes”, explica Mario Grinblat, médico dermatologista do Hospital Albert Einstein.

Cuidados Importantes com o Recém-Nascido

As lesões formadas se caracterizam por cravos pretos ou brancos, espinhas avermelhadas e, em casos menos comuns, espinhas com pus. Com raras exceções, os pais não devem se preocupar, já que as acnes costumam desaparecer espontaneamente. O uso de óleos e pomadas para bebês também não são recomendados; não são eficientes e podem até agravar o caso.

Outro problema que pode atingir as crianças é a acne infantil, que surge a partir do terceiro mês de vida. As lesões aparecem em maior quantidade e são mais persistentes que a acne neonatal. Elas também costumam desaparecer de modo gradativo em cerca de três anos. O surgimento dessa acne é similar ao dos jovens, já que ocorre devido ao entupimento do folículo (canal do pelo) e, consequentemente a liberação do sebo produzido pelas glândulas sebáceas para a superfície da pele.

“Caso apareçam verdadeiras bolhas ou espinhas com pus em qualquer parte do corpo, deve haver um exame cuidadoso, já que elas podem ter sido causadas por herpes viral. Neste caso, é necessário tratamento”, afirma Grinblat. A recomendação é buscar um dermatologista caso os cravos não desapareçam sozinhos depois que o bebê passar dos seis meses. Medicamentos leves, com formulação própria para a pele da criança podem resolver o problema.